Sexta-feira, 28 de Dezembro de 2012

CANTO DAS JANEIRAS SOLIDÁRIO


VERSÃO AUDIO DISPONIVEL NO SÍTIO DA RÁDIO RENASCENÇA (aceda aqui)



ppp do Paulo às 23:12
| comentários ao ppp...
|
Sexta-feira, 21 de Dezembro de 2012

MENSAGEM DE NATAL 2012

 

Caríssimo(a) Amigo(a)

 

O Natal está quase a chegar, mas este ano vamos todos vive-lo com uma palavra que inunda a nossa vida a cada hora e instante, pintando de negro e de agonia um tempo que foi, é e será sempre de LUZ… Mas o Natal será sempre NATAL porque há dois mil anos nos foi dado um menino que ao mundo trouxe uma mensagem de ESPERANÇA e de AMOR e que, mercê dessa simplicidade, necessita apenas da COMPREENSÃO dos nossos sentidos!

 

Em Le petit Prince, Antoine de Saint-Exupéry afirma através dos seus personagens que o essencial é invisível aos olhos e julgo que é precisamente no gesto singelo do nascimento – renovado a cada ano – que numa perspetiva de futuro auguramos sempre por um mundo melhor mas… por termos o coração tão entupido de coisas negras e agonia, os nossos olhos não conseguem ver para além das imagens do presépio – com ou sem animais – e acabamos por deixar o nosso espírito de Natal repousar contemplativo nas palhinhas da superficialidade quando na realidade a estática do presépio – apesar de alguns haver que são movimentados – na sua essência profunda do mistério de um nascimento (igual ao de todos nós) apela à renovação (renovar a ação) não nos deixando ficar de braços cruzados à espera que esse MILAGRE aconteça espontaneamente! Cabe a cada um de nós – independentemente da sua confissão religiosa, orientação partidária, referencia clubística ou qualquer outro “rótulo” – fazer acontecer o NATAL em cada gesto – por mais pequeno que seja –  e no intimo do seu coração, que não vê mas – dizem – sente, fazer renascer o AMOR neste tempo e no tempo de vida que a vida nos concede, a começar junto daqueles que nos são mais queridos!

 

Este ano faço-me PRESENTE no teu Natal com ESPERANÇA de que também tu COMPREENDAS esta mensagem simples e deixes que a simplicidade do teu coração sinta e veja que apesar das escuridões e agonias que nos circundam, a trémula e pequena LUZ do AMOR está também depositada nas tuas mãos e cabe-te a responsabilidade de a transmitir aos outros para que se dissipem as trevas e as privações e se (re)construa um mundo melhor!

 

Com o ouro da minha amizade, o incenso do meu carinho e a mirra da minha estima, desejo-te um SANTO NATAL!

 

Paulo do Monte Pedral 21.12.2012

Domingo, 2 de Dezembro de 2012

FERRAMENTAS DE VIDA...

 
 
 
 
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Numa carpintaria tradicional houve uma reunião entre todas as ferramentas com o objetivo de acertar as suas diferenças e aclamar a ferramenta mais importante.

O martelo tomou a palavra e propôs-se exercer a presidência, não só por ser uma ferramenta de peso mas também por estar habituado a ditar sentenças num qualquer tribunal dos homens, mas os outros participantes foram unânimes em dizer-lhe que teria de renunciar ao cargo pois fazia barulho demais e, para além disso, os seus golpes e pancadas às vezes falhavam o alvo e, outras vezes, as suas orelhas arrancavam mais do que era preciso. Resignado, o martelo aceitou a sua culpa mas como era uma ferramenta “de peso”, exigiu que o parafuso também fosse excluído, argumentando que ele tinha um feitio muito esguio, uma cabeça dividida e dava muitas voltas para conseguir o seu objetivo. Perante os argumentos do martelo e o balbuciar das outras ferramentas, o parafuso viu-se obrigado a concordar mas, por sua vez, pediu igualmente a exclusão da lixa. Dizia que ela era muito áspera no tratamento com os outros e, por mais fineza que tivesse, provocava sempre atritos e lixadelas. A lixa não teve outro remédio senão concordar, mas com a condição de que se excluísse também o serrote pois apesar de ele não ter boca ou língua, os seus terríveis dentes cortavam tudo e todos e deixavam sempre no chão um serrim que em todo o lado penetrava e tudo sujava. O serrote concordou mas – por entre os dentes – afirmou que se devia de excluir também o metro pois ele media os outros com a sua própria medida e julgava ser o único perfeito. O metro, convencido de tomar sempre as medidas certas e justas ia para falar, mas nesse preciso momento em que os ânimos ferramenteiros se começavam a exaltar, entrou o Carpinteiro e iniciou o seu trabalho. Pegou numa tábua tosca, utilizou o metro, o serrote, o martelo, pregos e parafusos, cola de madeira misturada com serrim e outras ferramentas e materiais… Ao final de algum tempo de trabalho a tosca tábua de madeira transformou­-se num belo e resistente berço para uma criança. Quando as ferramentas ficaram novamente a sós, a discussão voltou. Foi então que a cola, habituada a juntar as partes tomou a palavra e disse: "Caros colegas de oficina, ficou demonstrado que todos nós temos defeitos, mas O Carpinteiro trabalha com as nossas qualidades, com os nossos pontos fortes; assim proponho um acordo entre todos nós… nestes tempos difíceis que todos vivemos, não vamos relevar os nossos pontos fracos nem vamos agora eleger o mais importante; vamos sim passar a valorizar os nossos pontos fortes para vivermos todos juntos, fortalecidos como os elos de uma corrente bem unida". Todas as ferramentas aprovaram a proposta e perceberam que se o martelo era barulhento, também era forte; se o parafuso dava voltas e mais voltas, também unia e dava força a essas uniões; se a lixa era áspera, era também especial pois limava e afinava as eventuais asperezas e esquinas; o serrote tinha uns dentes terríveis, mas às vezes era a força desses dentes que permitia separar o bom do menos bom e se o metro estava sempre a tirar medidas aos outros, na verdade ele era também preciso e exato... Foi assim que as ferramentas da carpintaria se deram conta de que todas as habilidades que possuíam eram necessárias para o trabalho em comunidade!

 

Caríssimos Amigos, tantas vezes ouvimos ou fazemos barulho, andamos ou vemos outros andar ás voltas, tornamo-nos ásperos ou somos "lixados", medimos os outros ou são os outros que nos "tiram as medidas" e “fazemos serrim”... Na realidade, bastava apenas compreender que somos elos (iguais ou não, direitos ou tortos e até de materiais diferentes) de uma corrente e que o segredo da vida em família, na escola, no trabalho, com os amigos, no grupo ou na comunidade reside no respeitar as nossas diferenças promovendo uma união firme pela “cola” da lealdade, honestidade e amizade... Está nas nossas mãos e no nosso coração deixar que essa transformação aconteça... Neste Natal, pela mão do "Carpinteiro Nazareno"

 

 

Paulo do Monte Pedral / Dezembro de 2012

ppp do Paulo às 01:32
| comentários ao ppp...
|

quem sou...

pesquisa no ppp...

 

Dezembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

ppp's recentes...

BOAS FESTAS... FELIZ NATA...

BENÇÃO DO PAPA FRANCISCO

PARTIU UM AMIGO DE QUATRO...

O VESTIDO VERDE

CANTO DAS JANEIRAS SOLIDÁ...

MENSAGEM DE NATAL 2012

FERRAMENTAS DE VIDA...

NOTÍCIA PUBLICADA NO JORN...

PRESENTES DE VIDA

O TEMPERO DA VIDA

FUNILICES

UM PADRE DE ENERGIA

ppp's arquivados...

Dezembro 2015

Junho 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Dezembro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Maio 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Agosto 2011

Junho 2011

Maio 2011

Dezembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Abril 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Abril 2008

Março 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Março 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

outros ppp's

o seu ppp está perto de...